Páginas

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Obie Trice: "Eu sempre irei apreciar o Eminem"

Confiram abaixo a entrevista que Obie Trice deu a XXLMagazine, onde ele fala de sua vida pessoal, carreira e seu relacionamento com Eminem.  Agradecimentos à @SMelo95

Esses últimos anos foram difíceis para Obie Trice.

O ex-MC da Shady Records levou um tiro na cabeça numa estrada em Detroit no dia 31 de Dezembro de 2005. Apenas 4 meses depois, o seu grande amigo Proof foi morto durante uma briga em frente à uma balada localizada na 8 Mile Road, em Detroit. Em 2008 ele saiu da Shady Records. Depois, no último mês de julho, aproximadamente 1 ano depois de inaugurar sua gravadora independente, a Black Market Entertainment, a mãe do Obie sucumbiu a um câncer de mama.

“Eu passei por muita coisa, mano.” Obie disse à XXL. “Tem sido uma longa jornada” 

Com certeza foi. Além de tudo, Obie está passando por um momento difícil na música, mas lançou recentemente “Battle Cry”, o primeiro single de seu próximo álbum Bottoms Up, que chegará às lojas dia 17 de Janeiro de 2012.

Aqui, Obie conversa com a XXL sobre sua situação idependente, amor e respeito por Eminem, como a situação com a Shady complicou, e sobre a perda de sua mãe pelo câncer.

XXLMag.com : Qual sua situação atual? 

Obie Trice: Black Market Entertainment. Esse é meu próprio selo. Lançamento do álbum Bottoms Up em 17 de Janeiro de 2012. Eu estou preparado pra fazer meu próprio trabalho, preparado para ir. 

XXL: Como se sente sobre sua situação independente e a música que você está prestes a apresentar aos ouvintes dentro de alguns meses? 

Sobre Independência, era isso o que eu queria fazer com esse álbum. Eu queria ter minha própria empresa, e lançar fantásticos artistas. Isso é o que eu planejo fazer. A música em Bottoms Up... Acho que é um ótimo álbum. É uma boa imagem pra mim e pra minha empresa. “Battle Cry”, meu single, está no iTunes/Amazon. Eu estou muito empolgado. Estou mais velho, eu passei por muita coisa nessa indústria da música, e eu gosto do álbum. Eu o respeito do mesmo jeito dos meus álbuns anteriores, Second Round’s On Me e Cheers. Acredito que esse álbum é uma boa imagem, um bom álbum para voltar à música.

XXL: Você vem sido reconhecido como um MC lírico. Há algo em "Bottoms Up" que saia deste contexto?

Eu acho que as pessoas que conhecem minha música vão apreciar o álbum. Estou oferecendo a eles uma boa música. Eu tenho produções do Dre, o Eminem está produzindo e também está gravando comigo, mas isso é basicamente “eu”. É apenas uma boa música, na qual as pessoas podem se relacionar. 

XXL: Você mencionou que o Eminem tem produções no seu álbum e está participando de músicas com você. 

Isso, “No Turning Back” é uma, e há outra participação. 

XXL: Então poderá haver duas participações? 

Ou poderá ter mais. Poderá ter mais. Eminem é meu mano. Você sabe como isso acontece. Você faz música até terminar e entregar o projeto. 

XXL: Quando você fala com o Eminem nesses dias, ele te dá conselhos sobre sua situação independente, ou é mais uma questão pessoal? 
É mais uma questão pessoal. Eu passo noites na casa dele, minha filha brinca com a filha dele. Nós temos mais uma relação pessoal do que qualquer outra coisa. Se ele me desse um conselho, eu com certeza iria segui-lo, porque você está falando de uma pessoa que vendeu muitos álbuns. Ele continua sendo um animal na música. Ele continua sendo ótimo no que faz. Eu sempre irei apreciar o Eminem por me dar a oportunidade e fazer do meu nome uma marca, por ser capaz de fazer o que amo. Há muito a fazer com Marshall Mathers. Sobre o Jimmy Iovine, (A rescisão com a Shady Records)... Eu perdi um show do Big Boy, “The Power Show” [...] Eles queriam que eu fosse ao show às 7 da manhã, e eu não fui. Jimmy realmente tem um problema com isso, então ele não iria aliviar minha situação. [...] Eu deveria estar no meu t-r-a-b-a-l-h-o. Todos continuam fudidos comigo. Mas é só uma decisão baseada nos negócios que Jimmy fez. 

XXL: O que você acha da reconciliação do Royce e do Eminem lançando o aclamado EP? 

Sou um grande fã do Slaughterhouse e sou um grande fã do Royce. Sempre fui um fã do Royce. É ótimo que pessoas podem passar por certas coisas e depois se reconciliarem, porque na maioria das vezes isso não acontece. [...] Acho que eles fazem uma ótima dupla juntos. A química entre Eminem & Royce é insana.

XXL: O que você acha sobre as ações que o Eminem vem fazendo com a Shady 2.0? 

São negócios. Eles querem ter sucesso como tinham no passado. Eles precisam continuar crescendo. Eu gosto da situação que está ocorrendo lá, e desejo o melhor para todos da Shady 2.0. Eu acredito que as pessoas de lá tem uma visão reservada para o selo e o Eminem sendo um dos maiores artistas da indústria... ele quer fazer estrelas, não olhando apenas pra si.

XXL: Você está acostumado a lutar. Você tem passado por muitas coisas sozinho nos últimos anos.


Eu perdi o Proof. Quase fui morto. Proof foi assassinado dois meses após eu ter levado um tiro na cabeça. E eu perdi minha mãe pelo câncer de mama em julho. Minha pequena dama, você sabe o que estou dizendo. Ela estava na festa de lançamento do meu selo no ano passado e isso foi em Maio. Dois meses depois ela teve um inchaço. Era uma mulher que cuidou de 3 garotos, trabalhou a vida toda. Trabalhava demais, era uma mulher forte, e vê-la piorando cada vez mais dentro de um ano... Aquilo foi prejudicial pra mim. Aquilo se espalhou rapidamente. Aquilo foi para o seu fígado, estômago, ossos e pulmões. Ela não conseguia fazer quimioterapia. Ela sabia que eu estava planejando lançar meu álbum. Ela estava muito doente para ser parte disso, então aquilo me deixou pra baixo. Ela iria fazer 67 anos, o que é extremamente jovem, e fez mamografias todos os anos de sua vida. Ela trabalhou para a Chrysler por 41 anos e faltou 30 dias desses 41 anos. Ela trabalhava para a fábrica. Era algo muito pesado. Então, perder ela, levou algo de mim. Eu venho fazendo caminhadas para o câncer de mama e fiz tudo a respeito disso. Eu digo para moças jovens “Cuidem-se, cuidem-se. Eu 
não sei se você perdeu sua mãe, eu não me importo quem ela seja, drogada, rica, teimosa, estúpida... Você tem apenas uma mãe." Então, isso colocou um pouco de peso sobre mim. Se você recordar, (No álbum) “Cheers” Eu dediquei uma música a ela chamada “Don’t Come Down” (Não ceda), e gravei um clipe para essa música [...] Eu dei isso a ela há muito tempo atrás. Eu queria fazer uma música pra ela nesse álbum, mas estou lutando com isso no momento. As palavras não saem agora. Eu realmente não consigo achar as palavras certas agora. 

XXL: Um dia você poderá ser capaz. 

Um dia, talvez, serei capaz. Talvez não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Blog não se responsabiliza pelos comentários feitos por seus visitantes, e se reserva no direito de excluir comentários com linguagem grosseira de conteúdo calunioso ou difamatório.

Leia também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...