Páginas

domingo, 21 de outubro de 2012

Chris Conway fala sobre o Eminem

Engenheiro de estúdio Chris Conway, que trabalhou com Eminem em The Marshall Mathers LP, fala sobre o processo de gravação e muito mais:


"Foi muito bom para trabalhar com o Eminem. Sua ética de trabalho era de primeira qualidade. Trabalhamos como 17 horas por dia durante duas semanas seguidas. Eu estava muito inspirado por seu estilo e técnica vocal. Perguntei ao Paul Rosenberg (gerente do Eminem) se eu poderia alugar alguns microfones porque havia certos tipos de microfones que eles não tinham. Paul disse: 'Sim, pegue o que quiser, o que você precisar". Eles tinham um orçamento muito bom para o álbum. Acabei alugando como 12 microfones... Eu montei todos na cabine de voz. No primeiro dia o Em entrou [na cabine] e foi de microfone para microfone tentando coisas diferentes. No final da sessão, já tínhamos escolhido os microfones que nós gostamos. Falei tipo 'Quais que você quer ficar?'. A resposta do Eminem foi "Fique com todos", então foi exatamente isso que fizemos. Nós acabamos usando tudo. Nós usamos microfones diferentes para músicas diferentes".

"A razão pela qual ficamos com todos os microfones foi que talvez três ou quatro dias depois, o Em voltaria para uma música (onde já tínhamos gravado a letra) não para fins de desempenho, mas porque ele mudou a letra ou algo assim".

"O Marshall sabia sempre qual microfone usávamos para uma certa música. Nós tínhamos todos os microfones ainda na cabine de voz por todo o tempo e ele iria direto pro microfone certo. Ele tinha uma ótima técnica de microfone também. Ele fazia certas coisas tipo (bloquear uma narina levemente com o dedo) para um refrão ou algo assim. Ele conseguia ouvir se ele etivesse um milímetro fora. Ele ouvia essa diferença. Na maioria das vezes, com os artistas, eu tinha que dizer à eles 'Vamos tentar isso de novo. O tom tá fora'. O Em notava isso sozinho. Dentro de algumas tentativas ele conseguia igualar o som perfeitamente: .

Com os seus vocais, Em conseguia ficar lá e juntar com o seu rítimo antes dele até mesmo ir para o microfone. As vezes faríamos algumas barras para aquecer sua voz e para o nível de som daí ele conseguia gravar em uma tentativa".

Perguntaram ao Chris o que mais ele conseguia lembrar das sessões o Marhsall Mathers e ele respondeu: "Eu me lembro que ele escreveu 'Stan' no estúdio. Ele criou os dois primeiros versos. Era apenas ele e eu na sala. Ele estava me perguntando 'O que mais um fã poderia dizer à um artista?'. Eu falei pra ele que achava que ele já tinha falado tudo mas perguntei por quê ele não tinha escrito o terceiro verso de seu ponto de vista para o fã. Eu tive uma grande marca em 'Stan' no sentido de guiá-lo nessa direção. Eu acho que essa é uma das partes da música que ele realmente fez um grande impacto e realmente deu uma direção à música".

Após finalizar os versos, o Em estava tentando criar um refrão. Enquanto ele escrevia o refrão eu estava lá só brincando com o painel. A batida consistia em um kick (percussão), retorno, hi-hat e o loop da Dido. Eu joguei o loop da Dido em outros dois canais e eu usei o EQ para filtrar todos os vocais e as partes altas para que restasse apenas uma faixa com o grave. Durante os versos eu cortei o loop da Dido, e apenas deixei a versão filtrada e quando o verso acabou, eu coloquei o loop da Dido com os vocais. Ele olhou pra mim e falou 'Esse é o refrão". Nós simplesmente sabíamos olhando um para o outro que ele não precisava escrever um refrão".

Fonte: Eminem Brasil

Um comentário:

  1. bem interessante saber como foi gravado o melhor álbum do Eminem

    ResponderExcluir

O Blog não se responsabiliza pelos comentários feitos por seus visitantes, e se reserva no direito de excluir comentários com linguagem grosseira de conteúdo calunioso ou difamatório.

Leia também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...