Páginas

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Entrevista com a Vibe: 10 Anos de "8 Mile". Parte 1

Para comemorar os 10 anos de lançamento do filme "8 Mile" a revista Vibe reuniu o elenco do filme para contar suas historias no set. Veja abaixo a primeira parte da entrevista:


VIBE:  Eminem, na época você nunca tinha atuado na vida; mas a história se passou em Detroit, baseada em algumas de suas experiências. Quando a câmera parava de rodar você se sentia um pouquinho a mais no mundo dos atores, ou eles no seu?

Eminem (B-Rabbit): Eu definitivamente senti que ia entrar em uma área que não era a minha especialidade, então eu fico grato que todos esses caras estavam próximos de mim. A parte mais difícil era lembrar das falas. Porque tudo que tinha de fazer era me levar de volta ao meu estado mental da época como eu me sentia antes de assinar com Dre. Não foi muito difícil ser eu mesmo.

Anthony Mackie (Papa Doc): Foi louco para mim porque foi o meu primeiro trabalho. Quando começamos eu não tinha muitas falas. Os filhos da mãe falavam tipo “Ei seu personagem é uma merda, então nós adicionamos isso. Faça isto”. Meu maior desafia era tentar estar no mesmo nível que Mekhi Phifer.

Mekhi Phifer (Future): Você conseguiu gatão! Você conseguiu!

Eminem: Quando olho para a época do filme uma das coisas mais legais que aconteceram foi que nos tornamos amigos no set. O filme acabou se revelando como nós [eventualmente] agíamos na vida real.

Você sempre disse que isso não era a historia da sua vida. Importa para você que as pessoas acham que seja?

Eminem: Não me incomoda. As pessoas que realmente escutam a minha música vão saber diferenciar o que era minha vida e o que não era. Havia algumas partes que foram inspiradas na minha vida, mas a maior parte é fictícia. Nós ensaiávamos muito antes de gravar a cena, e eu estava em todas as cenas. Eu estava no set diariamente das 6 da manha até [algumas vezes] às 5 da manhã do outro dia. eu comecei a pensar que eu era aquela pessoa. Eu era o B-Rabbit e eu estava vivendo esse filme. Eu não tinha escolha se não ser ele.

Em retrospectiva, todos acham que o filme foi uma decisão fácil, mas o estúdio e Jimmy Iovine
estavam preocupados se isto poderia manchar a imagem de Eminem. O filme de Mariah Carey “Glitter - O Brilho de uma Estrela” tinha acabado de afundar e a ultima vez que a Universal trabalhou com rappers foi com Vanilla Ice no filme “Cool As Ice”.  Mekhi, você inicialmente se recusou a fazer o filme. Por quê?

Phifer: Eu estava para começar em ER e tinha acabado de acontecer o 11 de setembro. Ele me ligaram tipo “Ok, queremos que você voe ate Detroit”. Isso foi no dia 13 de setembro. “Eu não vou entrar em nenhum avião! Eu vou ficar onde estou e vou ser médico droga!”. Eu não tinha lido o roteiro ainda, e eles estavam me apressando para ler porque eu tinha que sentar com o Curtis [diretor] em seu escritório porque ainda não haviam divulgado nada. Mas quando eu li eu pensei, oh, isto pode dar certo! Eles me fizeram ir a Detroit para ver se Eminem e eu tínhamos química. Esse cara virou meu amigo de forma tão rápida que pensei “Isto vai ser foda!”. E quando eu conheci o resto do grupo, eu já tava empolgado. Foi a melhor decisão que fiz.

Omar Benson Miller (Sol George): 8 Mile foi muito reverenciado, todo lugar aonde íamos alguém estava falando sobre isso. Ontem eu e Cheddar estávamos andando na rua, cabeça baixa e tal e um garoto chegou perto da gente e cantou “Anything goes when it comes to hoes/I’m the kingpin when it comes to flows…”

Evan Jones (Cheddar Bob): [Laughs] É!!! Quem escreveu esse rap?

Eminem: Essa merda devia ter sido um single. “Ten freaky girls! Ten! Ten!”

Benson Miller: Eu queria destacar algo: Eminem é uma celebridade e não pode andar muito por ai, Proof estava muito lá. E eu me lembro da festa de encerramento.. Nós estávamos cantando a música e não queriam deixar eu e Cheddar entrar porque não sabiam quem éramos. Proof apareceu do nada falando que tava tudo certo. Eu já faço filmes por algum tempo agora e tem muitos caras loucos por ai. E a naturalidade de vocês dois, Eminem e Mekhi, que ja estavam preparados e era mais experientes que eu na época foi ótimo. Foi algo muito especial.

Eminem: Eu definitivamente agradeço por isso.

Phifer: Vocês são caras legais. Facilitou pra gente.

Mekhi, seu personagem foi inspirado em Proof. Vocês dois conversaram tentou saber um pouco mais sobre ele?

Phifer: Claro que conversei com Proof. Não foram longas conversas porque o personagem falava por si mesmo. Mas digo, eu queria retratá-lo como em 1995. Por isso você me vê com aquela cabeleira, aquela cabeleira louca! [Risos]. Veio a calhar - nós quase não conseguíamos fazer os dreads não conseguíamos deixar a peruca certa.

Eminem: [risos] Costumávamos chamar Proof de Wolverine porque na época do Hip-hop Shop, o cabelo dele era louco. Pensando nisso, como eu não estava fazendo o papel totalmente do Marshall, Mekhi não necessitava fazer o papel exato do Proof. Desde que tivesse autenticidade e parecesse certo. Tinha de ser em Detroit.

Evan, como era o Eminem nos primeiros ensaios?

Eminem: Eu era um imbecil! [Risos]

Jones: Todos falavam que ele era fantástico. Logo de cara ele nos levou ao jogo do  Detroit Lions. No caminho de volta no carro ele tocou alguma música do álbum novo [The Eminem Show], foi muito bom. Você nos fez sentir como uma família.

Para ler a entrevista completa em inglês clique aqui
Logo postarei o restante da entrevista traduzida

3 comentários:

  1. já ta saindo em capa de revista,aos poucos ele vai voltando

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

O Blog não se responsabiliza pelos comentários feitos por seus visitantes, e se reserva no direito de excluir comentários com linguagem grosseira de conteúdo calunioso ou difamatório.

Leia também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...