Páginas

sábado, 21 de dezembro de 2013

Produtor Emile fala sobre seu trabalho com Eminem em MMLP2

A XXL conversou com o super produtor Emile para discutir seu trabalho com Eminem ao longo dos anos, a diferença entre o Em de Recovery e o Em de MMLP 2, além do processo de produção por trás de músicas como "Legacy" e "Headlights".

Como foi trabalhar com o Eminem desta vez?
Incrível como sempre. Nós tivemos a oportunidade de fazer algumas coisas ao longo dos anos. Na verdade, eu comecei a trabalhar com ele há uns 10, 12 anos atrás. Eu não gravei com ele para seus álbuns, mas nós produzimos faixas juntos desde o álbum Cheers do Obie Trice, é sempre bom. É sempre um prazer; é sempre meio que uma experiência ver alguém desse nível elaborar sua música.

Existe alguma diferença entre o Eminem da era Recovery vs. o Eminem de MMLP2?
Levemente. Não foi há muito tempo atrás que eu achava que não tinha tanta diferença. Eu acho que ele está num lugar diferente, e isso meio que se reflete na música e se reflete um pouco na vida real, como em nossa interação também. Mas sem mudanças drásticas. Nós passamos bastante tempo conversando desta vez e contando histórias, então isso foi um pouco diferente e interessante. Mas não foi como uma coisa drástica.

Ele é notoriamente secreto com sua música. Ele foi assim com este álbum? Você estava no estúdio quando ele gravou?
Eu iria para Detroit se fosse para eu ouvir alguma coisa. Eu me sentia confortável mandando ideias para ele, pequenos esboços e se havia alguma coisa em que eu gostaria de trabalhar, porque eu estou muito confortável trabalhando fora do meu estúdio. Mas, pela maior parte, se você quer trabalhar com o Marshall, você entra num avião e vai para Detroit. É apenas uma vibe da casa. É só entrar no estúdio e realmente conversar, passar tempo, nos vermos e criar.

Qual foi o processo por trás de fazer uma faixa como "Legacy"?
Essa é uma interessante. Nós tínhamos essa há muito tempo. Na verdade começou com uma equipe de composição - essa garota Polina e esse cara David Brooke - meio que vieram com um pedaço de um refrão. Eles cantaram para mim essa ideia que tinham e imediatamente [eu disse], "Isso poderia funcionar para o Eminem, deixa eu transformar isso em alguma coisa e mostrar para ele." Eu mostrava [faixas] para o Eminem como um esboço, como um arquiteto desenharia algo rápido e mostrasse para alguém. Você apenas mostra para ele um esboço e diz, "O que você acha?" E se é algo que ele agarra, o processo começa. Então isso foi há um tempo atrás quando eles me mostraram esse negócio que escreveram juntos e eu imediatamente meio que entrei nessa e comecei a colocar algumas pequenas ideias para tentar apresentar para ele e dizer, "Ei, o que você acha?" Quando eu fiz isso e entreguei para o empresário dele, Paul Rosenberg, ele reagiu bem e disse que realmente gostou. Ela evoluiu ao longo do tempo. Ele veio com a ideia com os efeitos vocais e os instrumentos diferentes. Essa foi a primeira [música] que nós na verdade começamos para o álbum.

Isso deve ter sido há mais de um ano. Ele está sempre gravando e sempre vindo com ideias. Ele vive no estúdio, então antes de qualquer conversa sobre um grande álbum, eu só estava tipo, "Ah, eu tenho esse negócio que eu acho que o Eminem ia gostar", que me disseram que ele gostou. Uma vez que eu ouvi isso, é só meio que entrar na onda do que ele quer fazer com isso.

E sobre a música "Headlights"?
Ela inicialmente começou comigo sendo amigo do Nate Ruess da fun. e eu trabalhando com a .fun [em seu álbum Some Nights] e também tendo a relação com Eminem e Paul. Eu sempre falava sobre o Eminem com o Nate, e o Nate é um grande fã do Eminem. Eu acho que sempre mencionei isso com o Paul - "Ei, o Nate é um fã do Eminem" - apenas meio que colocando isso lá. Em um momento era eu, o Nate e Jeff Bhasker - ele produziu a faixa comigo, e o Jeff fez a maior parte do álbum da .fun, então nós meio que temos uma história juntos - nós entramos no estúdio um dia e aconteceu de todos nós estarmos em Nova York. Era tipo, cara, vamos tentar algumas ideias para o Eminem e ver o que podemos criar disso. Talvez eu possa mandar alguma coisa para o Paul. Eu falei com o Paul também, nós tivemos uma longa conversa sobre onde o Eminem estava na vida, o relacionamento dele com sua família. Apenas ideias diferentes. Meio que vir com alguma coisa que ele pudesse se envolver. Isso realmente resultou dessa longa conversa que eu tive com o Paul e tendo ideia do que estava na mente dele no momento.

Uma vez que eu tive isso, eu, Nate e Jeff viemos com uma ideia, uma espécie de esboço da batida, algumas melodias e algumas palavras jogadas, e aparentemente ele adorou e era um grande fã do Nate também e do álbum da .fun. Então foi uma coisa vai e volta onde a batida e o Nate funcionaram para o Eminem, e o Eminem meio que mergulhou nisso e veio com suas ideias de como podemos mudar a letra e como podemos mudar as coisas na batida. Eu falava bastante com o Eminem, e ele estava realmente empolgado com essa faixa. Eu recebia ligações dele tipo, "E se a gente tentasse isso aqui? E se a gente tentasse isso lá?" Algumas dessas palavras - "E se a gente mudasse esses pra isso, isso é um pouco mais preciso." A gente só ia e voltava e finalmente eu acabei indo para Detroit para finalizar [a faixa] e ouvir o que ele escreveu para ela. Muito incrível ouvi-la completa; todas as vozes do Eminem e do Nate lá, e a produção minha e do Jeff.

A faixa fez muito sentido.
Sim, realmente fez muito sentido. O Nate sempre foi um grande fã do Eminem. Quando eu comecei a trabalhar com o Nate, ele constantemente me perguntava sobre o Eminem e ele realmente curtia os álbuns dele e me dizia quais músicas que ele adorava. E é engraçado porque o Eminem sempre me perguntava sobre o Nate, e [dizia] que adorava a forma como ele compõe e junta as melodias. Eles são compositores muito, muito poderosos. Bem diferentes, eles têm seu próprio seguimento, mas apenas liricamente - além [do fato] do Eminem rimar e o Nate cantar - a forma como eles escrevem, os dois estão no topo. Eu coloco eles na categoria mais alta de composição que existe. É incrível tê-los na mesma música.


Créditos: Everything is Shady

Fonte: XXL

5 comentários:

  1. Curti a entrevista legacy e headlights são realmente muito boa.

    ResponderExcluir
  2. Elisa, assim que possível, traduz o livro do ex segurança do Em p/ gente!!! *__* \0/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro! Mas estou meio enrolada com uns projetos pessoais aqui. Pode demorar um pouquinho, tem problema?

      Excluir
    2. Imagina, eu entendo!! Traduza quando puder!!! Obrigada.

      Excluir

O Blog não se responsabiliza pelos comentários feitos por seus visitantes, e se reserva no direito de excluir comentários com linguagem grosseira de conteúdo calunioso ou difamatório.

Leia também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...